Bravo!

BravoEm meados de 1997, surgiu no cenário musical brasileiro uma banda de rock chamada Fênix Fenícia. Suas letras rebeldes e extremamente poéticas logo atraíram a atenção das rádios e do público jovem. O sucesso não tardou e os meninos da Fênix ganharam uma legião de fãs.

Cris Iório, o talentoso e carismático vocalista da banda, em poucos anos ultrapassou as fronteiras do rock, adentrando sem cerimônias ao primeiro escalão dos artistas nacionais, tornando-se quase uma figura mítica, o que lhe rendeu o posto de alvo preferido dos fotógrafos de celebridades e das colunas de fofocas.

Além dos palcos, Cris levava uma vida totalmente desregrada. Nem mesmo o sucesso alcançado com a Fênix serviu de calmante ao impulsivo roqueiro, que parecia, à primeira vista, querer levar a rebeldia das suas canções à sua vida pessoal. Os desafetos aumentavam à medida que sua língua ferina apontava em várias direções soltando frases de efeito e palavrões, enquanto sua biografia ganhava contornos dantescos, com prisões, processos e manchetes de artista decadente nos jornais.

Mas quem é Cris Iório? Por que tanta polêmica em torno de seu nome? O que motivou ou ainda motiva a sua rebeldia? Ele é um anjo ou um demônio?
A resposta: Bravo! Quando os homens se tornam heróis, a história de Cris Iório.

*Escrito por Silvia Lima, jornalista

(clique AQUI para comprar)

Anúncios